Voos de apoio

1 / 3
Carregamento do C-130 - FAB
2 / 3
Fim de tarde na Antártica
3 / 3
Hércules na Antártica
3 / 3
Hércules na Antártica
3 / 3
Lançamento de cargas
3 / 3
Lançamento de cargas
3 / 3
Lançamento de cargas


Operar no Continente Antártico é uma capacidade que poucas Forças Aéreas no mundo possuem. Complementando o esforço brasileiro na Antártica, a Força Aérea Brasileira, por meio do Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1º/1º GT), também conhecido como Esquadrão Gordo, realiza dez Voos de Apoio OPERANTAR, possibilitando a troca de pesquisadores e militares, e realizando apoio logístico à Estação Comandante Ferraz.

Antes de chegar à Antártica, o voo, que tem início na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, passa por Pelotas-RS, onde é complementada a logística da operação. Em seguida, decola para Punta Arenas-na Patagônia chilena. O próximo pouso só ocorre após uma viagem de três horas, até a Base Aérea Presidente Eduardo Frei Montalva, mantida pela Força Aérea Chilena. De lá até a Estação brasileira são necessárias mais três horas navegando, ou meia-hora de helicóptero.

Voos de Inverno

Com o retorno dos Navios da Marinha para o Brasil e a chegada do inverno antártico (março a outubro). A FAB passa a ser a única forma de abastecimento da EACF. Entenda um pouco da dinâmica desses voos, e como atuam os militares da Marinha e da FAB que coordenam essas missões no Continente Gelado, nas seguintes ações:

Paletização de cargas para lançamento aéreo - Durante os voos de inverno, a equipe do C-130 fica responsável por acondicionar em paletes todo o material que será lançado por paraquedas nas proximidades da EACF. Os fardos de carga chegam a pesar 200 kg.

O lançamento da carga - presos por cintos de segurança, os loadmasters ficam a poucos metros da rampa aberta do Hércules. Poucos segundos são essenciais para que a carga desça intacta e no local assinalado pelo Grupo-Base (16 militares da Marinha do Brasil, responsáveis pela manutenção das instalações brasileiras na Antártica).

Tipos de Carga - Gêneros frescos como: frutas, verduras, ovos e, também, materiais para os atendimentos de urgências como: sobressalentes para os diversos sistemas e medicamentos são alguns dos itens enviados. E durante a pandemia, como preparação para a OPERANTAR XL, vacinas contra a covid-19 foram enviadas para imunização dos militares do Grupo-Base Polaris.



Página inicialEntenda a OPERANTARAcompanhe os naviosProjetos da OPERANTAR XLOPERANTAR em números

A Operação Antártica - OPERANTAR - inicia seu 40º ciclo em Outubro de 2021. A presença brasileira na Antártica culminou, em 12 de setembro de 1983, com a inclusão do País no seleto grupo de Membros Consultivos, colocando-o em posição privilegiada no cenário global.

Copyright © 2021 - Centro de Comunicação Social da Marinha