Conheça sua história

Matérias Relacionadas


amazing caves coverimage

Precisamos de heróis

Em praticamente todas as áreas da atividade humana, grandes profissionais têm sempre uma ou mais referências de personalidades de destaque...


Leia mais...

Vídeos em destaque

HOMENAGENS
Navios com nome "Almirante Tamandaré"

Encouraçado Tamandaré

Construído no Arsenal de Marinha da Corte e incorporado à Armada Imperial em 1865. Foi o primeiro navio encouraçado construído no Brasil. Desempenhou papel importante operando no Rio Paraguai, na Guerra da Tríplice Aliança.




Cruzador Protegido Almirante Tamandaré

Navio de propulsão mista, construído no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, sob plano do Engenheiro Naval João Cândido Brasil. Foi incorporado à Armada em 1891, com baixa do serviço em 1915. Foi o maior navio de guerra até hoje construído no Brasil, com deslocamento de 4.500 toneladas.

Cruzador Ligeiro Tamandaré

Construído nos Estados Unidos da América em 1938, participou da Segunda Guerra Mundial, incorporado à Marinha desse país com o nome de Saint Louis. Transferido para a Marinha do Brasil com base na Lei de Assistência Mútua (norte-americana), foi incorporado à Armada em 1951, e teve baixa do serviço ativo em 1976.


Homenagens Iconográficas

Monumento a Tamandaré

Colar da Ordem da Rosa

Brasão D’ Armas

Espadim, relógio de algibeira e espada

Nota de Cr$ 1,00 (um Cruzeiro)

Medalha “Mérito Tamandaré”

Testamento e Livro do Almirante Tamandaré

Sua Carreira

04/03/1823
Voluntário da Armada

Fragata Niterói - 1823 - 1824
Academia Imperial da Marinha - 1824
Nau Pedro I - 1824 - 1825

02/12/1825
Segundo-Tenente de Comissão

Fragata D. Paula - 1825 – 1826
Barca Leal Paulistana - 1826
 

26/01/1826
Segundo-Tenente (Efetivo)

Fragata Niterói - 1826
Escuna Constança (Comandante) - 1826
Corveta Maceió - 1827

12/10/1827
Primeiro-Tenente

Fragata Príncipe Imperial - 1827 – 1828
Escuna Bela Maria (Comandante) - 1828
Escuna Rio da Prata (Comandante) 1828/1833
Fragata Baiana - 1833
Brigue Cacique (Comandante) - 1834
Escuna Rio da Prata (Comandante) - 1835
Corveta Príncipe Imperial - 1835
Brigue Cacique (Comandante) - 1835 - 1837

22/10/1836
Capitão-Tenente

Quartel-General da Marinha - 1837 - 1838
Corveta Regeneração - 1838
Galera 16 de Março (Comandante) - 1838
Canhoneira nº 13 (Comandante) - 1838
Brigue-Barca 29 de Agosto (Comandante) - 1839
Brigue 3 de Maio (Comandante) - 1839
 
 

02/10/1839
Capitão de Fragata

Barca a vapor S. Sebastião - 1840 - 1841
Corveta 2 de Julho (Comandante) - 1841 - 1842
Patacho Patagônia (Comandante) - 1842
Fragata Constituição - 1842 - 1843
Corveta Bertioga (Comandante) - 1843 - 1844
Corveta 2 de Julho (Comandante) - 1844
Divisão do Centro, na Bahia (Comandante) - 1844 - 1846

14/03/1847
Capitão de Mar e Guerra (Graduado)

Membro da Comissão encarregada do exame do Armamento da Marinha - 1847
Fragata D. Afonso (Comandante) 1847 – 1849

14/03/1849
Capitão de Mar e Guerra

Fragata Constituição (Comandante) - 1850
Divisão Naval do Rio da Prata (Comandante) 1850
 

03/03/1852
Chefe de Divisão

Capitão dos Portos da Corte e da Província do Rio de Janeiro - 1852 - 1854
 

02/12/1854
Chefe de Esquadra

Arsenal de Marinha da Corte (Inspetor) - 1854
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

02/12/1856
Vice-Almirante

Por ocasião de sua estada na Europa foi designado para varias funções, entre elas a de encomendar dez canhoneiras, na França e Inglaterra - 1857 – 1859
Quartel-General da Marinha - 1859
Comandante da Divisão designada para acompanhar o Imperador na sua visita às Províncias do Nordeste - 1859 - 1860
Conselheiro de Guerra - 1860
Quartel-General da Marinha (Encarregado) - 1860-1861
Ajudante-de-Campo do Imperador - 1862
Comandante-em-Chefe das Forças Navais Brasileiras em operações no Rio da Prata - 1864 - 1866

21/01/1867
Almirante

Presidente da comissão encarregada de assistir as experiências da Corveta Trajano - 1867
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Artigos disponíveis

Clique aqui e veja os títulos do Almirante Tamandaré que constam na Biblioteca da Marinha.

Fotos históricas

Meghna

ALMIRANTE TAMANDARÉ


Honra é a força que nos impele a prestigiar nossa personalidade. É o sentimento avançado do nosso patrimônio moral, um misto de brio e de valor. Ela exige a posse da perfeita compreensão do que é justo, nobre e respeitável, para elevação da nossa dignidade; a bravura para desafrontar perigos de toda ordem, na defesa da verdade, do direito e da justiça.”

Meghna

ALMIRANTE TAMANDARÉ


"A classe a que pertencemos só pode brilhar pelo conjunto de qualidades que nobilitam o homem a desempenhar o sacrifício de depositário da honra e glória da Nação."

Meghna

ALMIRANTE TAMANDARÉ


"Olhe, a vida não vale nada. Honre sua Pátria, defenda-a em qualquer terreno, em qualquer ocasião e sem vacilação. Honre a farda e mantenha seu nome no grau mais elevado. Obedeça às leis e aos regulamentos, respeite seus superiores e não maltrate os subalternos. Se for injusto, seja por ter perdoado, e nunca por ter castigado."