Use Coletes, ele salva vidas


NORMAS PARA EMBARCAÇÕES DE ESPORTE E RECREIO

IMPORTÂNCIA DO USO DE COLETES SALVA-VIDAS

O colete salva-vidas foi idealizado para ser utilizado numa situação de emergência ou para dar segurança permanente numa atividade aquática esportiva. A dotação de coletes deverá ser, pelo menos, igual ao número total de pessoas a bordo, devendo haver coletes de tamanho pequeno para as crianças, observadas as seguintes Classes (Item 0414 da Normam 03/DPC):

- Embarcações empregadas na Navegação Oceânica: Deverão dispor de coletes salva-vidas Classe I (SOLAS);

- Embarcações empregadas na Navegação Costeira: Deverão dispor de coletes salva-vidas Classe II;

- Embarcações empregadas na Navegação Interior: As embarcações de médio porte deverão dispor de coletes salva-vidas classe V e as de grande porte ou iates de coletes salva-vidas Classe III;

- Embarcações Miúdas: Deverão dispor de coletes salva-vidas Classe V.

Os coletes salva-vidas deverão ser estivados de modo a serem prontamente acessíveis e sua localização deverá ser claramente indicada. Os coletes salva-vidas devem ser certificados conforme previsto na Normam-05/DPC.

É obrigatório o uso do colete salva-vidas, classe II, III ou V, homologados pela DPC para o condutor e passageiro de moto-aquáticas e similares.

DICAS DE SEGURANÇA

Não puxe, corte, escreva ou altere a estrutura do seu colete salva-vidas, ele é projetado e testado para sua segurança. Não apoie objetos pontiagudos e não use como assento ou encosto, pode perder parte de sua flutuabilidade.

Lave-o em água doce após o uso e sempre deixe secar em locais ventilados. Mantenha-o longe de fontes fortes de calor e não guarde úmido dentro do barco por longos períodos. Aumente a vida útil de seu equipamento com manutenções preventivas.

ENSINE AS CRIANÇAS

Vestir um colete salva-vidas ou um auxiliar de flutuação ajuda a manter uma criança equilibrada e com a cabeça para fora d´água. Não importa a idade, crianças perto ou dentro da água devem sempre estar sob a supervisão de um adulto responsável. Caso a criança não saiba nadar, escolha um colete com gola.

SEJA RESPONSÁVEL

Conduza sua embarcação de forma defensiva, jamais navegue alcoolizado. O álcool acelera a perda de calor do corpo e no caso de queda na água afeta seus reflexos e pensamentos. 80% dos acidentes em embarcações de lazer envolvem o uso de bebidas alcoólicas. Inspecione seu salva-vidas regularmente. Você é o responsável por sua tripulação, é a segurança de sua família e amigos que está em risco.

FISCALIZE

Verifique se o número do certificado de homologação é válido e se a data e lote de fabricação estão de acordo com o mesmo. Bóias e colete salva-vidas não tem prazo de validade previstos por lei. A troca é indicada de acordo com as condições de uso do produto.

FLUTUE COM ESTABILIDADE

Escolha seu colete conforme seu peso e tamanho. Sempre há um modelo adequado que o deixe com a flutuabilidade estável. Antes de sair ao mar, teste seu colete salva-vidas em águas abrigadas.

INSPECIONE SEU SALVA-VIDAS

Antes de sair ao mar, verifique se todos os coletes salva-vidas estão em bom estado. Verifique se todos têm fitas, fechos, apitos ou algum tipo de avaria aparente no tecido. Verifique se a espuma esta amassada ou danificada por ter sido usada como assento, encosto ou mau acondicionamento. Sobra de tecido pode indicar menor flutuabilidade. Tenha sempre um colete salva-vidas do tamanho correto para cada tripulante.

ESCOLHA SEGURANÇA

A maior parte das vítimas tem o colete salva-vidas na embarcação, mas não o veste. Sempre vista seu equipamento. 9 em 10 afogamentos ocorrem em águas calmas, abrigadas e a poucos metros do resgate. Se uma pessoa a bordo da sua embarcação não souber nadar, você deverá orienta-lo a permanecer vestido com o colete salva-vidas mesmo que em águas calmas ou próximos da beira mar.

SOBREVIVÊNCIA NO MAR

O tempo de exposição na água fria pode causar hipotermia, isto significa que a temperatura do corpo cai abaixo de 35º C e pode ser fatal. Técnicas simples de sobrevivência podem ajudar a retardar esse processo:

Saiba como vestir seu colete salva-vidas rapidamente; Caso o contato com a água gelada seja inevitável, tente fazê-lo de forma gradual, descendo por escadas ou cordas de segurança; Nade apenas se for possível chegar a uma embarcação de sobrevivência ou refúgio, não desperdice energia; Relaxe. Permaneça na posição fetal, com os braços cruzados sobre as pernas e a cabeça ligeiramente para trás, o mais importante é manter a boca fora d´água; Caso existam outros náufragos, mantenham-se próximos uns aos outros formando um círculo. Se existirem feridos, os mesmos deverão ser acolhidos no centro. Mantenha a calma até que o resgate o localize. A atitude positiva de uma pessoa em risco pode fazer toda a diferença para sua sobrevivência.

CARACTERÍSTICAS DOS COLETES SALVA-VIDAS

O colete salva-vidas é um meio individual de abandono, capaz de manter uma pessoa, mesmo inconsciente, flutuando por, no mínimo, 24 horas. Os coletes podem ser do tipo "canga" (de vestir pela cabeça) ou tipo "jaleco" (de vestir como paletó).

FLUTUABILIDADE E ESTABILIDADE

Os coletes classes I e II deverão ter flutuabilidade e estabilidade suficientes, em água doce, tranqüila, para:

1) manter uma pessoa exausta ou inconsciente flutuando, de modo que sua boca fique a pelo menos 120 mm acima d'água, estando seu corpo inclinado para trás, em relação à vertical, 20º no mínimo e 50º no máximo;

2) girar o corpo de uma pessoa inconsciente na água, a partir da posição deitada em decúbito ventral, de tal maneira que a boca fique voltada para cima em, no máximo, 5 segundos;

3) não ter sua flutuabilidade reduzida em mais de 5%, após imerso na água doce por 24 horas;

4) permitir à pessoa que o veste, nadar uma pequena distância e embarcar numa embarcação de sobrevivência;

Os coletes deverão ser fabricados em tamanhos diferentes a saber:

1) Coletes Classes I e II

EXTRA-GRANDE - Para pessoas de massa igual ou superior a 110 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 15,6 kg (156N). GRANDE - Para pessoas de massa igual ou superior a 55 kg e inferior a 110 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 13,6 kg. MÉDIO - Para pessoas de massa superior a 35 kg e inferior a 55 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 7,0 kg (70N). CRIANÇAS - Para pessoas de massa igual ou inferior a 35 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 5,0 kg (50N);

2) Coletes Classes III e V

EXTRA-GRANDE - Para pessoas de massa igual ou superior a 110 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 10,0 kg (100N). GRANDE - Para pessoas de massa igual ou superior a 55 kg e inferior a 110 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 7,5 kg. MÉDIO - Para pessoas de massa superior a 35 kg e inferior a 55 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equival ente a uma massa de 5,5 kg (55N). CRIANÇAS I - Para pessoas de massa superior a 25 kg e inferior a 35 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 3,5 kg (35N); CRIANÇAS II - Para pessoas de massa igual ou inferior a 25 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 2,5 kg (25N).

3) Colete Classe IV

Poderá ser fabricado em tamanho único e sua flutuabilidade efetiva mínima deverá ser de 9,0 kg (90N).

Os coletes classe V ESPECIAL deverão ser fabricados em tamanhos diferentes a saber:

GRANDE - Para pessoas de massa igual ou superior a 55 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 12,0 kg (120N); e MÉDIO - Para pessoas de massa superior a 35 kg e inferior a 55 kg, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 8,0 kg (80N). COMPETIÇÃO - Em tamanho único, com flutuabilidade efetiva mínima equivalente a uma massa de 6,0 kg (60N).

Informações complementares: Verifique orientações complementares nas Normas e Procedimentos para as Capitanias – NPCP/ NPCF, quanto à obrigatoriedade do uso contínuo de coletes salva-vidas em determinados tipos de embarcações.

Fonte: Normam 01, Normam 02, Normam 03 e Normam 05 da Diretoria de Portos e Costas.


Marinha do Brasil - Comando de Operações Navais